google-site-verification: googlea7d345fe9e2e3355.html
Inicio / Destaques / Cachaçaria Macaúva, que tem melhor carta de cachaças do país, dá um up na cozinha
Milton Lima e Marcelo Bianchi. Foto: Marcos Zaniboni

Cachaçaria Macaúva, que tem melhor carta de cachaças do país, dá um up na cozinha

Como uma cachaçaria cuja carta de cachaças figura entre as melhores do Brasil e que está plantada em uma espécie de quintal do paraíso pode melhorar ainda mais? A resposta não é das mais difíceis: comida boa. Porém, mais do que boa, no caso da Cachaçaria Macaúva, em Analândia (SP), é essencial que tudo que saia da cozinha harmonize com a alma do local.

E o que é essa tal de alma da Macaúva?

“A alma da Macaúva é a cachaça”, define com precisão o chef Marcelo Bianchi, que comanda o Bistrô Bianchi, em Pirassununga. “E a cachaça está no DNA do brasileiro. Nós gostamos por natureza.”

Marcelo Bianchi acaba de assumir a cozinha da Cachaçaria Macaúva. O caminho para o cardápio que está montando para harmonizar com a carta de cachaças criada por Milton Lima, o ativista da cachaça proprietário da casa, já está traçado.

“A cachaça, quando bem empregada na culinária, faz as pessoas ficarem maravilhadas”, diz o chef, que, entre outras alquimias, fará risotos usando cachaça de qualidade no lugar do vinho para despertar o amido do arroz.

A parceria entre a gastronomia de excelência do Marcelo e as bebidas de primeira de Milton foi batizada de Bistrô Macaúva.

Vocação assumida

Marcelo é formado em matemática e análise de sistemas e, durante 20 anos, exerceu sua profissão em São Paulo, lidando com comércio exterior. “Não era raro receber ligações às três da manhã de alguém que não conseguia embarcar uma carga lá na China”, conta ele.

Ao mesmo tempo, ele estudava culinária e fazia incursões esporádicas na cozinha, como consultor, chef convidado e até dono de restaurante no Espírito Santo. Mas faltava um incentivo para um mergulho mais profundo.

Foto: Marcos Zaniboni

“Aí, eu me casei com a Vivi e tivemos uma bebê. Juntos, decidimos que iríamos criá-la fora de São Paulo”, conta. “Para fazer uma mudança drástica, melhor fazer logo duas: abracei outra profissão”.

A TI ficou para trás e Pirassununga foi escolhida para o recomeço. Assim nasceu o Bistrô Bianchi, com Marcelo nas panelas e Vivi dando cobertura.

O novo desafio é a Cachaçaria Macaúva. A casa tem uma carta de cachaças com 40 lindos rótulos eleita pela revista Prazeres da Mesa, em 2019, uma das melhores cartas de bebidas do país. Milton Lima, criador da carta e dono da Macaúva, buscava uma renovação na cozinha quando foi aconselhado a conhecer o Bistrô Bianchi e o chef Marcelo. “Ele sentou aqui, comeu e só depois se apresentou. A gente começou a falar sobre comida e bebida, que são coisas que aproximam as pessoas”, conta Marcelo.

A vontade de Milton se juntou com a fome de expansão de Marcelo, que estava à procura de um lugar bacana para uma nova casa. “Fui até a Cachaçaria Macaúva e fiquei apaixonado. Tem um ambiente maravilhoso”.

Cachaçaria Macaúva: o novo cardápio

O cardápio está fechado e tem duas características marcantes: contará com ingredientes frescos e terá a cara da região. “Gosto de trabalhar com o que o local oferece. A grande vantagem da nossa região é a fartura de pequenos produtores. Eu consigo fazer parcerias, ajudo a desenvolver determinados produtos e assim consigo sempre ingredientes de qualidade”, diz o chef.

O Bistrô Macaúva será uma boa opção tanto para quem quiser bebericar e saborear petiscos com um toque de originalidade como para quem quiser um jantar comme il faut, garante Marcelo. É só olhar o cardápio que vai entrar em cena no fim desta semana para não ter a menor dúvida disso.

Foto: Marcos Zaniboni

Sem se prender a um estilo único, mas com a marca da ascendência italiana e o respeito à raiz interiorana da Macaúva, o chef vai servir coisas como carré de cordeiro sobre purê de mandioquinhas, redução de balsâmico e creme de beterrabas. O bacalhau à moda da casa virá com broa de milho, batatas ao murro, abobrinhas ao pesto e alho frito na cachaça.

E há ainda, para os que vão jantar, risoto de queijos da Serra do Itaqueri, a linda região da qual Analândia faz parte, e um penne alla puttanesca com manjericão colhido na horta da casa.

Para quem quer apenas petiscos que harmonizem com as cachaças da casa, há o bolinho de mandioca com costela bovina assada 24 horas e ainda sanduíches, como o que vem com cupim cozido 24 horas, maionese especial, rúcula e tomates cereja.

“Com a chegada do Marcelo, a cozinha da Macaúva vai alcançar o nível da nossa carta de cachaças. Com isso, a gente espera atrair um novo público para se agregar ao que já temos e poder mostrar para mais gente o que é cachaça de qualidade. E como comida boa e cachaça se casam perfeitamente”, diz Milton Lima, coberto de razão.

Curta aqui algumas imagens da Macaúva, onde também funciona uma ótima pousada.

Quer conhecer outros excelentes lugares para beber? Clique aqui.

2 Comentários

  1. Carlos Augusto Franco

    Parabéns ao Milton pela iniciativa de aprimorar a culinária

  2. Rita de Cassia Rodrigues

    Pena que a minha pequena produção orgânica fica em Florianópolis e são ostras que in natura com mel cachaça e limão fica espetacular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Devotos em seu e-mail

Pular para a barra de ferramentas Sair