google-site-verification: googlea7d345fe9e2e3355.html
Inicio / Direto do Alambique / As cachaças mais vendidas nos melhores bares do mundo

As cachaças mais vendidas nos melhores bares do mundo

A Drinks International (DI), uma das mais respeitadas publicações da indústria de destilados do planeta, acaba de lançar o suplemento ‘Annual Brands Report’, que revela quais são as cachaças mais vendidas e as que são consideradas as grandes apostas (top trending) nos melhores bares do mundo, entre outras informações valiosas.

O ‘Annual Brands Report’ é um levantamento com donos, gerentes e chefes de bar de casas que foram premiadas nos mais importantes rankings do mundo, entre os quais o The World’s 50 Best Bars.

Este ano, 109 casas de seis continentes participaram do levantamento, sendo seis da América Latina (o dobro do ano passado). O Brasil tem uma casa na lista – certamente o Guilhotina, de São Paulo, bar que figurou no número 15 do mais recente ‘50 Best Bar’.

A força dominante são os EUA, com 10 bares na lista, e a Austrália, que tem impressionantes 10 bares na lista, ultrapassando pela primeira vez o Reino Unido.

A Europa tem no total 37 bares – mas eram 50 no ano passado –, com destaque para os britânicos, que participam com 9 bares, quatro a menos que no ano passado. Na Ásia, são 27 bares.

As cachaças mais vendidas

Entre esses bares de altíssimo nível, três marcas dominam as vendas de cachaça. No entanto, há uma fragmentação grande, já que as líderes, somadas, não alcançam 50% das citações. Mas a melhor notícia é que 90% dos bares da lista têm pelo menos uma marca de cachaça em seu estoque, 10% a mais do que no ano passado.

A liderança é da Cachaça 51, que era a segunda mais vendida no ano passado, mas conseguiu penetrar em mais bares de primeiro time ao longo de 2019.

A segunda colocação é da Leblon, marca que era líder no ano passado. “É a marca que vai estar pronta para quando a cachaça, de fato, alçar voo”, havia sentenciado a publicação no ano passado.

Agora, a expectativa é que a cachaça produzida em Patos (MG) possa recuperar a liderança por ter sido considerada a “top trending” pela turma dos bares.

Na terceira posição em vendas, está a Sagatiba, com seu sabor neutro, de mais fácil aceitação pelos bartenders e público externos.

Essas três marcas estavam na lista de 2018 também. Cada uma delas foi citada por 16% dos bares pesquisados. Portanto, não há uma marca dominante entre as cachaças mais vendidas para esse nicho dos bares top de linha, o que significa que há portas abertas para outras marcas.

As marcas Avuá e Yaguara completam a lista, substituindo Abelha e Germana, que estavam na relação do ano passado.

A Yaguara é uma bela novidade da lista. A marca também ficou entre as cinco trending. E é uma das três preferidas dos bartenders na hora da preparação da caipirinha, o que prenuncia um bom futuro para a marca no mercado externo.

Top Trending

As posições se modificam na hora em que a turma dos grandes bares aponta quais são as cachaças com tendência de crescimento. No entanto, as cinco cachaças mais vendidas são vistas como melhores apostas.

A lista das top trending é composta pelas respostas dos pesquisados sobre as marcas que, mesmo que não liderem, têm um “cool-appeal right now”.

Como já dissemos acima, a Leblon está na ponta, seguida pela Avuá – marca americana para cachaças produzidas em Carmo (RJ), pela mesma fabricante da excelente Cachaça Da Quinta.

A Sagatiba é a terceira, a Cachaça 51 é a quarta e a Yaguara completa a lista.

A publicação destaca a dependência da Cachaça em relação à caipirinha. A DI lembra que o apreço pelo coquetel em todo o planeta demanda grandes volumes de compras pelos bares. Mas que o crescimento da categoria depende, de forma desafiadora, da manutenção da popularidade do nosso drinque nacional.

Cachaça 51 reina nas caipirinhas

E é interessante a posição da Cachaça 51 em relação ao preparo da caipirinha. Mais de 50% dos bares escolhem a marca para preparar o drinque nacional brasileiro, o que sugere que as cachaças com preços mais elevados são utilizadas, algumas vezes, em outros drinques – o que é uma boa notícia.

A Leblon, com 18%, é a segunda mais usada nas caipirinhas, seguida pela Yaguara (14%).

Se a evolução da cachaça no exterior depende, em boa parte, da popularidade da caipirinha, o ‘Annual Brands Report’ traz uma notícia relativamente boa. A caipirinha se mantém na lista dos bestselling classic. Ocupa a posição 42 da lista dos drinques clássicos mais pedidos nos melhores bares do mundo. É a mesma de 2019 e duas acima da que estava em 2018. A publicação especula que o aumento da disponibilidade de cachaça de maior qualidade no exterior pode estar ajudando a sustentar a posição do coquetel brasileiro.

Apenas para efeito de comparação, o rum tem sete coquetéis na lista dos mais pedidos. E segue ganhando espaço nos corações da turma dos bares. Só perde agora – de longe – para o gim como o destilado mais vendido nos melhores balcões.

Leia mais notícias sobre cachaça aqui.

Por Dirley Fernandes

Vista a camisa do Devotos

Vá a nossa loja e encomende a sua camiseta do Devotos da Cachaça. Assim, você vai estar nos ajudando a levar mais informação sobre cachaça para o Brasil e o mundo. Clique no link.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Devotos em seu e-mail

Pular para a barra de ferramentas Sair