google-site-verification: googlea7d345fe9e2e3355.html
Inicio / Destaques / Engenho 227 lança Carta de Cachaças exemplar
carta de cachaças

Engenho 227 lança Carta de Cachaças exemplar

Carta de cachaças é, ao mesmo tempo, um objeto relativamente simples e profundamente complexo. Simples porque, para um devoto experimentado, com alguns anos de litragem, não existe uma dificuldade maior em juntar uma coleção de cachaças que faça sentido.

Há no Brasil algumas dezenas de profissionais com capacidade para fazer uma Carta de Cachaças de alto nível ou, ao menos, para ajudar um proprietário de bar, restaurante, loja ou cachaçaria a se desincumbir da tarefa com alguma dignidade.

O que é complexo, então?

Uma série de circunstâncias que dificultam terrivelmente o trabalho do profissional que é chamado a fazer a carta.

Poucos proprietários entendem que construir uma Carta de Cachaças digna desse nome não se limita apenas a escolher 10, 20 cachaças boas… É preciso conceito, coerência interna, representatividade, garantia de reposição, especificidade…

Esse editor que vos digita poderia falar de vários casos de projetos de cartas de cachaças que abandonou pela metade por não ver o comprometimento da casa com algo que possa, com alguma dignidade receber o título de… Carta de Cachaças.

É por isso que há poucas cartas como a Carta de Cachaças da Cachaçaria Macaúva (leia sobre ela aqui).  E é por isso que é uma grande alegria anunciar que veio à luz uma Carta de Cachaça feita nas regras da arte. Essa peça veio de um local insuspeitado: Ponta Grossa. E daqui de longe, pela lente dessa bela carta, sou capaz de enxergar que a casa que Thiago Moro e Jean Araújo tocam lá nos Campos Gerais do Paraná – o Engenho 227 – está no bom caminho para se tornar um templo da cachaça.

Engenho 227“A casa, que é numa antiga relojoaria, é bem bacana. Fizeram uma reforma boa; o ambiente é aberto. E chamaram um bartender que está desenvolvendo um trabalho bacana, com boas caipirinhas. Tem um pessoal jovem frequentando e eles estão se interessando bastante por cachaça”, conta Luciano Souto, da Cachaça Colombina, que foi a Ponta Grossa para o lançamento da Carta, na quarta-feira (11/12).

Carta de Cachaças tem 71 rótulos

Voltando ao tema principal do post, a Carta de Cachaças de que vos dou conta é obra do militante da cachaça Thiago Moro para a sua Cachaçaria Engenho 227, localizada numa área histórica da cidade de 310 mil habitantes que fica a 103 km de Curitiba.

São 71 cachaças – o que é um número para lá de suficiente – divididas em “prateleiras” (Brancas, Umburana, Carvalho, Bálsamo, Outras Madeiras e Blends). A seleção abrange um amplo arco da geografia da cachaça, da aguardente paraibana Rainha ao blend de carvalho, grápia e angico da gaúcha Velho Alambique.

carta de cachaças do engenho 227A amplitude geográfica é também de sabores e estilos também: da mineira Chico Mineiro, tradicional e deliciosa, à inovadora Weber Haus 7 Madeiras – que a casa serve gelada.

Com isso, pode-se dizer que a Carta de Cachaças assinada por Thiago entrega o que promete em sua capa: “71 rótulos para conhecer as cores, sabores e aromas do Brasil”.

“Não quisemos colocar uma cachaça para fazer número, quisemos trazer diversidade; a carta busca refletir o que há de melhor em cachaça dentro do cenário nacional”, diz o tecnólogo de alimentos que virou dono de cachaçaria em abril desse ano.

“A relação da Cachaça com o Brasil sempre me atraiu. Por isso, fui pesquisando e veio o sonho de abrir um espaço como esse. Eu me considero um militante da cachaça. E essa casa é parte disso. O pessoal está gostando; não tinha nada desse tipo em Ponto Grossa”.

Os textos introdutórios e o projeto gráfico de qualidade (Dyego Marçal na arte; José Gabriel Tramontin e Fábio Machado nas fotos) são outros pontos de destaque que ajudam a separar a Carta de Cachaças do Engenho 227 de uma mera lista de rótulos.

Com essa Carta de Cachaças, o Engenho 227, que Thiago toca ao lado do sócio Jean – comandante da área das panelas – se inscreve na relação de detentores das melhores cartas do país, que tem na Cachaçaria Macaúva, em Analândia (SP), e na Rota do Acarajé, na capital paulista, dois de seus melhores exemplares.

Leia aqui sobre a carta de cachaças da Macaúva, assinada pelo ativista Milton Lima, com a colaboração textual dese editor que vos escreve.

E aqui sobre a Rota do Acarajé.

Por Dirley Fernandes

8 Comentários

  1. Que trabalho fantástico! Sucesso aos meninos do PR

  2. Rafael Oliveira Baptista

    Parabéns e sucesso ao Engenho 227

  3. Fico orgulhosa de tanto trabalho e dedicação sendo de reconhecidos e divulgados! Parabéns Thiago e Jean, vcs merecem o mundo!

  4. Tivemos a felicidade de acompanhar o lançamento, que foi um evento delicioso! Parabéns e muito sucesso!

  5. Esses grandes amigos Moro e Jean merecem muitos créditos!!! Sou fã!!!

  6. Vindo desse grande defensor e divulgador de nossa cachaça, é uma honra!

  7. Foi uma honra recebe-lo Luciano em nosso Engenho227.

  8. Obrigado Cecil, grande defensora de nossa bebida nacional!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Devotos em seu e-mail

Pular para a barra de ferramentas Sair