google-site-verification: googlea7d345fe9e2e3355.html
Inicio / Destaques / Bola dentro e bola fora na degustação da cachaça
degustação de cachaça
Imagem: Maurício Motta

Bola dentro e bola fora na degustação da cachaça

Por Manoel Agostinho Lima Novo

Esta época do ano os nossos amigos sempre resolver fazer um teste com nosso fígado. E não é que conseguem? Eu, via de regra, me resguardo usando o fígado reserva, mas meus amigos de degustação da cachaça não sabem disto.

Quinta-feira passada, fui a um desses eventos que chamamos de “confraternização natalina”, no caso do meu grupo de futebol.

Em ocasiões como essa, eu tenho sempre que levar cachaça, claro. Parece que esse povo é movido a branquinha. Desta vez , não apenas fui intimado pelo presidente do grupo a levar cachaça, como ele ainda escolheu as variedades de cachaça que eu deveria “fornecer” via mensagem de whatsapp: “Traga pura, armazenada em umburana e envelhecida em carvalho”, disse, com a autoridade a ele conferida.

“De onde vc tirou isso? Sabe NADA de cachaça”, perguntei, sem disfarçar o espanto.

“Da última aula que vc deu aqui no futebol”, respondeu.

Ele estava correto, neste grupo eu não preciso nem jogar futebol. Levando uma garrafa e explicando a degustação da cachaça, o pessoal já fica satisfeito e consigo uma vaguinha no time.

Neste momento, algum leitor deve estar se perguntando: afinal, como se degusta cachaça?

Mato a bola no peito e dou a seguir o caminho do golaço que é aproveitar da melhor maneira possível as delicias de uma cachaça.

Primeiramente, colocamos meio copinho de cachaça. Depois, tombamos o mesmo para ver uma lágrima escorrendo na parede do copinho. Se a lágrima escorrer lentamente, é sinal de que a bebida é da melhor qualidade.

degustação de cachaça
Imagem: Maurício Motta

Vamos depois para o olfativo: sorvemos os aroma da cachaça; aí, podemos observar se ela não queimo o nariz, se o aroma permaneceu por alguns segundos nas narinas e trouxe odores agradáveis como mel, frutas, flores, vegetais, etc. Se a dermos por aprovada,  partimos para o terceiro passo.

Na boca, coloco um terço da cachaça, bochecho molhando toda a boca, depois engulo a mesma e imediatamente respiro forte pelo nariz e expiro pela boca. Em seguida, coloco mais um terço na boca sem engolir a saliva produzida, misturo a cachaça com a saliva e, pronto, posso engolir. Claro que engolir todo o shot de um gole só é uma tremenda bola fora.

A partir daí, degusto normalmente, sem necessidade de fazer o ritual.

Esse é o momento de avaliar a cachaça. Você compraria? Não compraria? Recomendaria aos amigos?

Para completar esta degustação, só falta me convidar.  Fígado pra isso eu tenho.

Um comentário

  1. Francisco Ferreira Leite

    Muito legal! Poxa, Manoel Agostinho Novo, e se o seu amigo, alem de escolher os tipos de cachaça, com a mesma autoridade, lhe determinasse as marcas das distintas : a pura , deveria ser uma Seculo XVIII rótulo vermelho.A de amburana uma Sanhaçu e a de carvalho, uma Magnifica Reserva Soleira, por exemplo. Vc aceitaria a incumbência? O fígado não iria reclamar, mas iria doer em outro lugar. Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Devotos em seu e-mail

Pular para a barra de ferramentas Sair