google-site-verification: googlea7d345fe9e2e3355.html
Inicio / Destaques / Um dream team de cachaças na reunião da Confraria Paulista

Um dream team de cachaças na reunião da Confraria Paulista

Por Dirley Fernandes

Poucas vezes na história se reuniu um time de cachaças ao nível do que está escalado para o 12º Encontro Aberto da Confraria Paulista da Cachaça, que acontece nessa terça-feira (25/10) na Chopperia São Paulo, em Pinheiros. De fato, trata-se de uma oportunidade rara de degustar joias da produção brasileira que não deveria ser perdida por nenhum devoto, especialmente o paulistano.

Exagero? De forma alguma. Dificilmente, os confrades conseguirão reunir mais adiante um time tão interessante, formado por cachaças bem variadas e representativas.

1000-montes-bruta-blog-copia

 

Citemos algumas das cerca de 20 moças que estarão á disposição dos participantes da reunião (aberta a todos os interessados no destilado nacional brasileiro).

A Sebastiana (Américo Brasiliense – SP) tem uma variedade envelhecida em castanheira – essa excepcional madeira brasileira – equilibrada, suave, corretíssima.

A 1000 montes ( Faria Lemos – MG), marca inovadora, tem uma carvalho correta e duas variedades excepcionais: uma amendoim untuosa e a recém-lançada Bruta, que se destaca num mercado que vem diluindo cada vez mais as cachaças por ostentar 48% de teor alcoólico, no topo do permitido pela legislação atual. Não se assuste! Não há excesso de acidez, apenas de aromas na Bruta.

A representação das Alterosas é pequena, mas valente. Prosa Mineira é uma das cachaças que mais evoluíram nos últimos anos e os prêmios que têm alcançado comprovam isso. A Água da Mata é outra que só faz melhorar ano após ano.

A representação baiana é da maior dignidade. A ilheense Rio do Engenho tem variedades como a Ouro (castanheira e louro-canela) deliciosas. E a Poço da Pedra tem um poema em forma de cachaça, que é a versão descansada por dois anos em grandes tonéis de jequitibá rosa no clima quente do sudoeste baiano. Equilibrada, porém expressiva, aromática, altamente amigável, é uma das melhores cachaças do mundo. A versão Prata também é muito boa.

Para não me alongar, registro ainda a presença da Turmalina da Serra, glória paraibana sobre a qual já falei aqui, e a Princesa Isabel, uma entrante no mercado cuja produção tem o dedo do doutor Leandro Marelli para assegurar a qualidade.

O devoto que chegar à Choperia receberá uma pulserinha que lhe dará direito à livre degustação das cachaças, que serão apresentadas por um dos confrades. O “open bar” de água – fundamental! – está incluído no ingresso.Também haverá um bazar para quem for suficientemente inteligente para não deixar escapar a oportunidade de levar garrafas das cachaças para casa.

Finalmente, mas não por último, haverá uma palestra com o brilhante Felipe Jannuzzi, do Mapa da Cachaça, com o tema Territórios e escolas da Cachaça – Regionalismos e Filosofias de produção, e drinques com cachaça criados por Fábio Magueta (Rock Wheels). E a casa, para algum devoto momentaneamente desgarrado da libação cachacístico, tem um bom chopp artesanal e petiscos.
12º Encontro da Confraria Paulista da Cachaça

25 de Outubro, de 19 h às 23 h

Choperia São Paulo

Endereço: Rua dos Pinheiros, 315 – Pinheiros, São Paulo/SP
Próximo ao metrô Fradique Coutinho – Linha Amarela

Ingresso: R$ 40

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Devotos em seu e-mail

Pular para a barra de ferramentas Sair