Inicio / Cachaças de A a Z / Cachaças de A a Z: conheça duas joias em carvalho para um bom começo de ano

Cachaças de A a Z: conheça duas joias em carvalho para um bom começo de ano

Por Dirley Fernandes

As primeiras cachaças a abrilhantar a seção Cachaças de A a Z do Devotos em 2018 têm duas características em comum: são representantes clássicas da categoria das cachaças armazenadas em carvalho e são ambas provas definitivas do esmero com que seus produtores tratam a Cachaça. Comecemos pois o ano com a degustação da Caraçuípe Extra Premium, produzida nos Tabuleiros Costeiros das Alagoas, e da Catarina Única Single Barrel, produto da Fazenda Santa Catarina (Dracena-SP).

Diga-se desde já que são ambos produtos de padrão e estilo internacional, daqueles que podem se comparar a conhaques, uísques e bourbons – pela similitude, não por grau de qualidade, já que, da branquinha à jaqueira, temos entre as cachaças produtos não só comparáveis, como superiores aos dos gringos aos magotes.

A Catarina Única é um lançamento do produtor André Fioravanti, à frente da Destilaria Vitória, que, além da Cachaça Catarina, é o berço da Cachaça Middas. A série é limitada e a que experimentamos tem em sua embalagem o número da garrafa (36) e o do barril (01).

A particularidade da Catarina Única (42%) é que ela é uma single barrel. Isso significa que ela não passa pelo processo de blendagem, que é característico da quase totalidade dos destilados.

Explicando rapidamente: cada garrafa de uma cachaça envelhecida contém partes de cachaças retiradas de vários barris, eventualmente com tostas ou idades diferentes, ou até mesmo compostos de madeiras diferentes. E, em verdade, até mesmo barris supostamente idênticos podem produzir cachaças diversas. Essa composição, chamada blendagem, além de possibilitar a apreensão de aromas e sabores mais diversos, tem como função principal possibilitar que o produtor consiga repetir uma “fórmula” em quantidades maiores.catarina unica

Já um single barrel será marcado pela personalidade de um único barril. No caso da minha cachaça, a do Barril 1, de carvalho americano e de primeiro uso, vindo diretamente da América do Norte, onde eles são usados para fazer bourbons, ryes etc…, e no qual a Catarina Única passou um ano e meio aveludando-se.

Já a Caraçuípe Extra Premium (40%) é produto de outro tipo/origem de carvalho – o francês – e os barris já ganharam a mansidão do tempo, resultando em aromas e sabores mais sutis. A bebida passa três anos e meio tomando forma nesses barris até alcançar seu belo ponto de equilíbrio de aromas e bela densidade.

A Catarina tem uma bela e viva cor acobreada, mais intensa do que se costuma encontrar entre cachaças envelhecidas em carvalho americano – o que se explica, justamente, pelo fato de o barril ser novo.

O aroma é muito intenso e adocidado, com um toque herbal, com um frescor que sugere que a retirada dos barris se deu no momento certo.

O aroma é equilibrado e agradável, guardando uma saudável eloquência de cachaça jovem, com toques de acidez e uma picância marcante no final. Algum doce e ares de tabaco se destacam no conjunto. Nada que se compare com algumas cachaças para as quais o barril de carvalho, depois de loooongos anos, se transforma num caixão. Não. A Catarina é para quem gosta de cachaça, não obstante vá agradar aos cultores de outros destilados.

É cachaça de um nível em que não se acham defeitos, apenas se mede a extensão das qualidades. E a maior delas é a persistência, o pinicar, a sensação agradável e ebuliente que domina por belos segundos a boca, o coração e a mente de quem a bebe.

De um acobreado mais claro, com mais transparência, a Caraçuípe Extra Premium, que se aprimora em três anos e meio nos barris de carvalho do Velho Mundo é menos intensa em aromas do que a Catarina. Esses são mais comedidos, remetendo a salas de velhas casas senhoriais e móveis de madeira seculares, a frutas bem maduras sobre longas mesas sempre postas. Algo como um doce de compota de espessa e escura calda, com um toque de aniz. O sabor é mais misterioso, não se dá a conhecer de forma desabrida. É sutil e, sobretudo elegante. A sensação de aveludado domina o ambiente enquanto a Caraçuípe desce levíssima garganta abaixo.caraçuipe

A gente imagina que valeu a pena que o comendador Antônio Coutinho tenha começado a plantar cana lá para os idos de 1933 para que seu neto, Renato Coutinho, tenha chegado a um produto tão notável.

Entre essas suas cachaças armazenadas em carvalho, a Catarina Única e a Caraçuípe Extra Premium, na primeira se destaca a expressividade, na outra, a suavidade. Em ambas, o equilíbrio que comprova a qualidade de seus produtores. Se continuar assim, 2018 será um belo ano.

A Catarina Única tem preços em torno de R$ 230. Visite o site do produtor.

A Caraçuípe Extra Premium está em faixa semelhante de preço, no site do Engenho Caraçuípe.

Conheça mais cachaças armazenadas em carvalho e em madeiras brasileiras na seção Cachaças de A a Z.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

giay nam depgiay luoi namgiay nam cong sogiay cao got nugiay the thao nu

Devotos em seu e-mail