Inicio / Direto do Alambique / Ampaq muda para ter abrangência nacional e representar toda a cadeia produtiva da cachaça

Ampaq muda para ter abrangência nacional e representar toda a cadeia produtiva da cachaça

Por Dirley Fernandes

A mais antiga entidade representativa da cachaça brasileira – fundada em 1988 – anunciou na semana passada uma mudança que pegou muita gente de surpresa: a Associação Mineira de Produtores de Cachaça de Qualidade vai se tornar uma entidade de abrangência nacional e representará, além dos fabricantes de cachaça, todos os demais segmentos da cadeia produtiva do setor. Com isso, o nome da entidade mantém a mesma sonoridade, mas, no papel, troca o “m” de mineira para o “n” de nacional. Assim, nasce a Anpaq.

“Vamos dar voz a todos os segmentos que sempre estiveram ao lado do produtor, mas não tinham quem os representasse”, declarou em um vídeo José Otávio Carvalho Lopes, diretor presidente da Ampaq para o triênio 2016/2018, exemplificando: “produtores de equipamentos, de serviços, de insumos…”

A proposta, segundo o vídeo, é “somar com todas as entidades representativas em busca de um setor coeso, com uma pauta clara”.

Devotos localizou José Otávio em Pitangui (MG), no alambique da (ótima) cachaça que ele produz, a Bem me quer, que recebia a visita de um grupo de suíços que podem ser os primeiros europeus a levarem para o continente os produtos de José Otávio – que já exporta para os Estados Unidos.

O presidente da Ampaq falou sobre a nova proposta para a associação que ele preside.”Era uma reivindicação que a gente vinha recebendo. Não é mais suficiente representar apenas o produtor. Quem fabrica a garrafa, o rótulo, todos os elos têm que ter sua representação e é bom que ela seja unificada”, diz ele.selo da Amapq

José Otávio conta que, a partir de 2019, a Anpaq terá uma direção com representantes não só dos produtores, como dos demais segmentos da cadeia. Sobre a abrangência nacional, o presidente da Ampaq conta que muitos produtores de outros estados queriam usar em seus produtos o conhecido selo da Ampaq. “É um selo com 28 anos e muita credibilidade. Agora, nós vamos poder atender essa demanda”.

Joé Otávio diz que a certificação com o selo da Anpaq – que, em breve, virá com nova logomarca e um QR Code contendo dados sobre cada cachaça – será feita localmente, mas seguindo parâmetros únicos definidos pela entidade.

“Estamos estabelecendo parâmetros de qualidade mais rigorosos que os da legislação. E temos um grupo estudando também novos parâmetros sensoriais. Mas isso ainda está sendo desenvolvido, com coordenação do Arnaldo (Ribeiro, da escola Cana Brasil)”.

Portanto, agora, todos os membros da cadeia produtiva da cachaça, do canavial à mesa, poderão fazer parte, ter direito a voto e se fazer representar pela Ampaq – ou melhor, Anpaq. Para isso, basta entrar em contato com a entidade (o site oficial está aqui) e preencher a proposta de adesão.

José Otávio, presidente da Ampaq
José Otávio Carvalho Lopes, presidente da Ampaq

 

Um comentário

  1. Acho uma boa medida , se for colocada em prática com transparência e com representatividade !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

giay nam depgiay luoi namgiay nam cong sogiay cao got nugiay the thao nu

Devotos em seu e-mail