Inicio / Cachaças de A a Z / Reserva 51 Rara: uma cachaça suave como a noite

Reserva 51 Rara: uma cachaça suave como a noite

Por Dirley Fernandes

A limha completa: Singular, Rara e Única
A linha completa: Singular, Rara e Única

A Reserva 51 Rara é um dos três rótulos que compõem a nova família de cachaças premium da tradicional marca de Pirassununga (SP) – as outras são a Única, sobre a qual falei nesse post, e a Singular.

Como as irmãs, a Reserva 51 Rara é embalada em roupa de gala, reforçando a aposta da marca num público mais exigente. O principal diferencial dessa cachaça, especificamente, é o envelhecimento. A bebida passa pelo menos quatro anos se aprimorando em barris de carvalho americano. Depois disso, segue para um período final de afinação em barris, igualmente de carvalho, porém utilizados anteriormente para a produção de vinhos nos países do Cone Sul.

O que resulta desse processo? Para começar, uma cachaça com uma cor pouco usual, firmemente acobreada e muito convidativa. O aroma é discreto, mas muito fresco, com predominância de caramelo e tons florais.

No entanto, é sobretudo na boca que a Reserva 51 Rara se revela uma cachaça, definitivamente, ímpar. A grande virtude é o equilíbrio. Com 40% de teor alcoólico, ela alcança um grau de suavidade bem interessante, mas não sem perder de todo a picância – como convém. A untuosidade que se percebe no visual se confirma na língua.

reserva-51-raraA primeira sensação no paladar vem da presença da madeira, revelada numa certa secura contida que logo se desdobra em doçura enquanto a bebida se espalha pelo palato. Ao cabo, a doçura e os tons de frutas vermelhas, aliás bem típicos dos vinhos latinos, são os aspectos sensoriais que predominam. O final é agradável, ainda que não tão persistente, convidando perigosamente para o próximo gole.

A Reserva 51 Rara é, enfim, uma bebida elegante e de personalidade original. E, sobretudo, é cachaça muito fácil de beber, que consegue agregar qualidades para agradar tanto aos paladares iniciantes – pela suavidade – quanto aos experimentados – pela curiosa complexidade.

A primeira cachaça da linha Reserva 51 foi lançada em 2009. A cachaça envelhecida em carvalho levou a medalha de ouro do Spirits Selection (Concurso Mundial de Bruxelas) e a de prata do International Wine and Spirits Competition, ambos em 2014. Em 2016, ela chegou ao quinto lugar na degustação às cegas da Cúpula da Cachaça, que ranqueia as 50 melhores cachaças do país. Isso, certamente, animou a empresa de Pirassununga na busca de outras variedades e sabores para ampliar a sua linha premium. Sem dúvida, foi uma boa ideia.

As cachaças da linha Reserva 51 têm um belo site montado para elas, onde se pode, inclusive, adquirir as bebidas e recebê-las no conforto do lar.

2 Comentários

  1. Excelente comentario. Eu, porem, por vezes fico na dúvida: qual o real sentido de uma cachaça remeter a sabores de vinhos, como resultado do envelhecimento em barris já utilizados para esta bebida? Será que os apreciadores de vinho gostariam de ter a sua bebida envelhecida em toneis já utilizados para a cachaça? Daí um sommelier comentar ” final agradável, doçura e tons típicos das cachaças “. Sei lá…

    • Dirley Fernandes

      Caro Francisco, a grande beleza da cachaça é a sua diversidade. Acho experiências como essa extremamente válidas. E aí, cabe a cada um decidir se o resultado atendeu ao seu paladar ou não. Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

giay nam depgiay luoi namgiay nam cong sogiay cao got nugiay the thao nu

Devotos em seu e-mail